quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Roda de Passarinho na Caatinga (Capitulo VI)

Canudos


Domingo, 25 de outubro chegamos em Canudos e fomos direto ao Museu Histórico e à represa que soterrou a passagem histórica mais dramática que nosso povo já viveu, a “Guerra de Canudos”, entre 1896 e 1897 que dizimou a população de Belo Monte.

No final da tarde fomos recepcionados por Tania Maria Alves e Vanderlei Leite, quem desenvolve um belíssimo trabalho de assessoria técnica e extensão rural no semiárido em Canudos e nos presenteou com excelente material de apoio à sua atividade.

Após reunião na casa de Tania, acertamos os detalhes para duas Rodas de Passarinho que aconteceram nos dias seguintes, a primeira com professores na Estação Biológica de Canudos e a segunda com crianças da Comunidade do Rasinho, na sede da Associação Agropastoril dos Pequenos Criadores do Raso, sexta e sétima Rodas da expedição à Caatinga.

Camila Mendes foi o primeiro contato que tivemos com a Fundação Biodiversitas através de Ciro Albano, no Avistar de São Paulo do ano passado. A partir de então, iniciamos trocas de emails para visitarmos a Estação e apresentarmos nosso trabalho à equipe.

Paulo Afonso

Osmar Borges foi o nosso anjo da guarda em Paulo Afonso. Ganhamos maravilhosos livros, conhecemos a casa de Maria Bonita, 29, quinta à noite, e ancoramos em seu quintal, de onde saímos com uma gostosa conversa filosofo-ornito-sociológica, que também nos salvou do feriado de finados que estava prestes a nos tirar do sério, pois a Toynha resolveu soltar a roda no trevo de Piranhas na véspera, às cinco da tarde.

Piranhas

Nosso plano seria conhecer Piranhas naquele feriado. Cidade natal de Anna Mariani, mãe de nossa Zaba-madrinha, nos presenteou com duas jóias raras: Pinturas e Platibandas, editado em 2010 e Paisagens e Impressões, de 1982. Mas, a gente volta lá com a roda e tudo!


Antonio Conselheiro abençoa Canudos



O Museu de Canudos, miniatura de uma grande tragédia



Segunda Igreja de Canudos emerge do Cocorobó a cada insepulta seca



Sexta Roda de Passarinho reune professores...



... na sede da Estação Biológica de Canudos com Tania e Vanderlei ao centro.



A sétima Roda aconteceu na comunidade de Rasinho...



e as crianças foram se achegando...



...achegando...



...de repente havia um povo maravilhoso em roda da gente!


Vanderlei Leite presenteou a biblioteca da Roda de Passarinho: material essencial produzido pelo IRPAA


Presente das mulheres da Associação Agropastoril do Raso, delícia que trouxemos até a Ilha de Santa Catarina



O santuário da arara-azul-de-lear, cerca de 1500ha de paisagem única da Caatinga baiana



Caboclo nos guiou até os magníficos paredões do santuário



No caminho conhecemos o cansanção, conhece?



Fotografando a paisagem



Osmar Borges, nosso anjo-da-guarda em Paulo Afonso e uma das raridades de seu acervo



Osmar Borges presenteou a biblioteca da Roda com vários livros interessantes



No trevo de Piranhas, a roda pensava seguir carreira solo



O gazebo usado uma única vez em toda a viagem durante o molho da Toynha



Grande Hotel da Chesf inaugurado nos anos 70 e desativado em 1998



Canion do São Chico em Paulo Afonso



Escultura no Memorial Antonio Conselheiro em Canudos


Continua no próximo capitulo...












2 comentários:

  1. Em criança o homem aprende a respeitar o meio ambiente. Educação ecológica pode reverter o quadro da relação homem x natureza. Vivas ao Roda de Passarinho.

    ResponderExcluir
  2. O homem aprende a respeitar o meio ambiente ainda criança. Educação ecológica pode mudar a relação homem x natureza. Vivas ao Roda de Passarinho.

    ResponderExcluir