sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A Roda na APAE de Santo Amaro

Um olhar por mais breve que seja, leva a um outro mundo.


Esta foi uma Roda de Passarinho emocionante, realizada dentro de um universo especial em todos os sentidos e povoado por seres que expressam os sentimentos sem hem hem hem. Uma experiência em tanto, que virou a Roda de pernas para o ar!

Distribuímos as fotos de mão em mão, observadas e "destruídas" uma ou outra por pura emoção, e juntamos os sons das aves em seguida, para conectar imagem e voz das aves de cada um. Assim, conseguimos criar um ambiente de concentração e a Roda passou pela audição dos passarinhos, na boa.

O som da flauta, como era de se esperar,  trouxe um novo silêncio e atenção absoluta, enquanto olhinhos brilhavam para o instrumento. Distribuímos alguns apitos de bambu e daqui a pouco um som tímido foi soprado de um lado, a Sara conseguiu tirar o primeiro som e, que delícia, todos vibraram com a façanha.

Então, vieram as sementes, uma conversa breve e o pinhão conhecido de todos. As penas, adoraram!
O pião rodou várias vezes, sempre agarrado firme por um e outro, afinal o que era aquilo a rodopiar incessante à nossa frente? Pega, pega!

A tarrafa fez a festa e a bola girou livre, o que só acontece quando as pessoas desejam estar intimamente conectadas, em comunidade e não querem disputar nada, somente fazer com que a brincadeira aconteça, tal qual nos ensinam os Jogos Cooperativos, de onde veio a ideia.

Nossa Roda já rodou em comunidades carentes e, tanto lá, como aqui, o preconceito cria muros e diferenças intransponíveis... Hoje pulamos mais uma vez este muro e encontramos pessoas delicadas, belas e amorosas, sorrindo aquele tipo de sorriso que se vê pouco, sorriso inocente, aberto, de um universo interior onde só existe verdade.

Ganhamos abraços, beijos desta turminha que visitaremos novamente para mostrar mais passarinho, música, penas, sementes e aprender...


A voz da Ema e do Tucano despertaram nossos amiguinhos


Gabriela ganha o olhar de Patricia


Sara toca o apito de taquara e é comemorada


A Bola girou várias vezes fechando a Roda de Passarinho no pátio da APAE, nossos vizinhos em Santo Amaro

domingo, 28 de agosto de 2016

A Roda de Passarinho no Jatobazinho

Novamente subimos o Rio Paraguai rumo à Jatobazinho, escola que desde a primeira visita, em novembro de 2011, durante a Expedição ao Pantanal, queríamos voltar e... voltamos!
Naquele ano fomos com nossa Toynha (Toyota Bandeirante/casa) até Corumbá e conhecemos o Instituto Acaia Pantanal que imediatamente nos mostrou este projeto maravilhoso.
Agora, fomos de avião em um dia de viagem de Santo Amaro da Imperatriz, nosso nova morada, até o Jatobazinho.

Realizamos três Rodas, uma por dia, e no quarto fizemos as Aves da Imaginação, com uma turma inspiradíssima, cujos desenhos trouxemos para confeccionar um poster para os alunos do Acaia Pantanal.

Estagiários e uma equipe de São Paulo trabalharam com pinturas corporais, desenhos e estórias além de participarem de nossas atividades.



Preparamos uma arena inspirada na Rendeira (Manacus manacus), apresentada com seu canto e ritual




Panos pintados pelas crianças foram utilizados nas Rodas




Durante o primeiro semestre muitas atividades envolveram o tema aves



Deitados e de olhos fechados, viajaram até a Amazônia ao som do Uirapuru




Professores e monitores acompanharam as atividades




A segunda turma com os professores e a Coordenadora Suzane Correa (acima, à direita)




Ao final de cada Roda, distribuímos Cadernos de Campo e as fotos adquiridas pelo Acaia Pantanal




Uma  sequência de fotos com as Aves da Imaginação...









Eduardo Guimarães desenhou um Pássaro "Ish!!!"


Desenhista Tania Ralston cria sua Ave da Imaginação




Suzane Correa, Coordenadora Pedagógica da Jatobazinho, também participou da atividade




Fernanda Rubio passa de mão em mão as Aves da Imaginação com nome, tamanho, família e alimentação




Aves da Imaginação e seus autores







Os Posters das Aves dos Biomas Brasileiros na entrada da Escola Jatobazinho




Nas capas dos Cadernos de Campo, aves presenteadas na Roda de Passarinho


Luziele e o seu Pula-pula-assobiador, prestes a ser desenhado


Daniely e a capa de seu Caderno de Campo




Esculturas em barro feitas pelos alunos do Jatobazinho em outra atividade da escola


Fabiana França coordenou os trabalhos de escultura na Jatobazinho











quarta-feira, 15 de junho de 2016

Roda de Passarinho em Burarama, Espirito Santo

video




A turma da Roda nas lentes de Deb Benaim Cruz
Momento de ouvir os cantos dos pássaros nas lentes de Deb Benaim Cruz




Roda de Passarinho de Burarama teve muitas participações especiais. Foto: Renato Rizzaro

Tania Caju, realizadora do evento, troca informações com os participantes da Roda. Foto: Renato Rizzaro
Gabriela no momento da troca de fotos entre os participantes da Roda. Foto: Renato Rizzaro
Depois de diversas oficinas realizadas desde maio na comunidade e tendo como tema central “Aves de Burarama”, a segunda edição do Cine.Ema – o Festival de Cinema Ambiental e Sustentável de Cachoeiro e Itapemirim aconteceu nos dias 1º e 2 de julho, no distrito de Burarama, que integra o corredor ecológico do Espírito Santo. O evento teve uma programação gratuita diversificada, com mostra competitiva de filmes de curta-metragem, shows, atividades ecológicas como caminhadas, observação de aves e outras ações de educação ambiental.

Com o objetivo de contribuir para o desenvolvimento socioambiental da comunidade, a Odebrecht Ambiental, a ANA, Agência Nacional de Águas e o Banestes, são algumas das parceiras do festival. Neste ano, foram inscritos 53 filmes nas categorias ficção, documentário e animação, com temas prioritariamente focados em meio ambiente e sustentabilidade.
Distrito de Burarama_Foto de Haroldo Trombetta
Buscando fazer de Burarama uma referência cultural e turística no sul capixaba, o festival foi pensado para valorizar a Pedra da Ema localizada no distrito. A pedra leva este nome por estampar em sua superfície a figura de uma Ema, transformando-se num símbolo da região.
Segundo os sócios da Caju Produções, Léo Alves e Tania Silva (realizadores do projeto) o festival se configura como uma ação de educação ambiental envolvendo comunidade escolar, urbana, rural de áreas quilombolas e periféricas na busca pela transformação social, conhecimento e reconhecimento de suas identidades a partir do diálogo sobre desenvolvimento local relacionando o turismo, a sustentabilidade, a economia criativa e geração de emprego e renda.
Aconteceram diversas oficinas de observação de pássaros com destaque para a “Roda de Passarinho”, que veio de Florianópolis para realizar as ações com crianças e troca de experiências que aconteceram paralelas à mostra de filmes.
O Cine.Ema é uma realização do Ministério da Cultura, da Caju Produções e do Instituto Últimos Refúgios, com apoio da Odebrecht Ambiental, da ANA (Agência Nacional de Águas), do Ministério do Meio Ambiente e do Banestes.
Alunos da Escola Wilson Resende apresentam seu filme no Festival em 2015, foto de André Fachetti
TEMA CINE.EMA 2016: AVES DE BURARAMA
Do voo à pedra.
Da Pedra para a tela.
De novo: um voo.
O play.
A pedra que leva o nome de uma ave é assim chamada por possuir uma falha rochosa que, de acordo com a posição do sol, forma a figura de uma ave pernalta, reconhecida por toda a comunidade como uma Ema. Embora não haja Emas na região Burarama tem características ambientais que a diferenciam no cenário sul capixaba, fazendo parte do corredor ecológico. E muito embora haja esta relação com as aves, inclusive no ícone paisagístico da região, poucos projetos dinâmicos sociais e culturais a respeito do mapeamento e do encontro de aves de espécies raras no distrito são realizados. A segunda edição do Cine.Ema enaltece estas belezas, convidando você a conhecer estas aves raras e as outras paisagens verdes que envolvem a comunidade.
O Corredor Burarama – Pacotuba – Cafundó apresenta características peculiares no contexto da atividade turística. A comunidade de Burarama, por exemplo, com ares bucólicos, arquitetura colonial e características geográficas de rara beleza, detém enorme potencial para o desenvolvimento da atividade turística, principalmente no segmento do ecoturismo, turismo de aventura e agroturismo, este último já realizado através do Circuito “Águas de Burarama” que envolve pequenos produtores rurais, artesãos, sistemas de hospedagem e alimentação, áreas naturais particulares e espaços de lazer.

terça-feira, 24 de maio de 2016

Roda de Passarinho no Avistar 2016






A primeira Roda no dia 20 de maio, 9h30m, abertura do Avistar 2016 com EMEF Teófilo Benedito Otoni, Parque Ipê.


Quem conhece pinhão, levante a mão!


Participação especial de Vanessa Kanaan do Instituto Espaço Silvestre


Momento de relaxamento para ouvir os cantos dos passarinhos


Curiosidade na mão, pena do rabo de Arara-canindé


Binóculos, guias de aves e sementes despertam a todos da Roda


No calcanhar de Gabriela, instrumento de percussão feito pelos índios com sementes de seringueira


A primeira turma posando com seus presentinhos na mão


À tarde, EMEF Solano Trindade, do Jardim Boa Vista, participa da Roda de Passarinho


Luccas Longo, convidado especial desta Roda, criou algumas criaturas junto com as crianças


As fotos circularam com muitos comentários engraçados e instrutivos


As ilustrações de Luccas Longo ganharam nomes populares interessantes


A segunda turma a participar de nossa Roda com seus passarinhos em mãos


Dia 21 pela manhã, a participação especial de Osmar Borges do ICMBio e Matheus, do Instituto Butantan


A Tarrafa de Bola, última atividade antes da chuva nos levar ao Paiol


A terceira turma da Roda abrigada do pé d'água na porta do Paiol, Grupo de escoteiros com Marcelo Fritz


Junto de obras de arte, a Roda continuou na tarde de sábado


Agora com o Grupo de Escoteiros da Represa Billings, em São Bernardo


A quarta turma na frente do Paiol com os presentes: fotos e Guias de Aves do Butantan


Domingo foi livre a participação na Roda, agora com o convidado Edson Ribeiro, de Boa Nova, Bahia.


Fabulosa a experiência com estes amigos no Avistar 2016. Foto de Guto Carvalho

Desenhos do biólogo e artista Luccas Longo, durante a Roda de Passarinho